Muito alem das quatro linhas…

15171093_10202559494784304_9155734217009964603_nO ano de 2016 marcou muito minha vida, tanto que já ate intitulei o pior ano, tanto em acontecimentos pessoais quanto no futebol.

A alguns dias atrás percebi como nos apegamos a algumas coisas em momentos difíceis, depois de uma foto postada em minhas redes sociais que sem querer fez um certo “sucesso” e um depoimento de uma pessoa que fez o mesmo, parei para pensar, como esse esporte, o futebol mexe com as pessoas, aproxima pessoas, faz aflorar sentimentos, pois bem vou relatar o acontecido.

No dia 27/11 aconteceu o ultimo jogo do ano do estadio Beira-Rio Internacional x Cruzeiro pelo campeonato brasileiro, jogo decisivo, pois o inter precisava ganhar para tentar fugir do rebaixamento, tenho uma foto com meu pai que faleceu dia 27 de agosto desse ano, no caso no dia do jogo se completavam 3 meses, meu pai era muito colorado, mas no entanto nunca pude frequentar as arquibancadas com ele pois quando passei a frequentar o Beira-rio ele já estava doente. No dia jogo peguei a foto de nos dois com a camisa do inter, foto que a muito tempo ficava ao lado de minha cama, coloquei ela no meu bolso e fomos ao estádio, assisti o jogo com ela em minhas mãos o tempo todo, era como se ele estivesse ali segurando minha mão, foi um jogo angustiante pois mais do que nunca precisávamos ganhar era o jogo da vida dos colorados, e ai vem a surpresa, a torcida começa a cantar o hino do clube e então vem o gol, o tao esperado gol que comemorei em meio a muitas lagrimas, abracei pessoas que nunca tinha visto em minha vida, foi um dos momentos mais emocionantes para mim depois que comecei a frequentar o estadio se não foi o mais, ganhamos o jogo, ao termino tirei uma foto da foto com a arquibancada ao fundo, postei ela em meu instagram agradecendo meu pai por “estar” la comigo no jogo, tamanha foi minha surpresa com a repercussão do post,  me sentia feliz quando via comentários do tipo “sou corintiano mas achei linda a homenagem” ou então “o futebol respira” eu fiquei pensando em todas as vezes que compartilhei coisas em que quem escrevia o futebol respira era eu e sem querer eu estava do outro lado, mas ai no outro dia eu ouço o relato de mais pessoas que também tinham levado objetos e outras coisas ao estádio e se apegara mais do que nunca, ou então fotos de torcedores na hora do jogo rezando junto a estatua do Fernandão, NUNCA será só futebol, NUNCA será só um jogo.

O futebol une pessoas, cria razões, cria laços, cria crenças, ele te faz acreditar no improvável que é muito provável, desde o raio que cortou o Beira-Rio naquela tarde durante o jogo ate a foto, a camiseta, a oração, o rosário, todas as coisa que levamos ao estádio e denominamos amuletos, são essas coisas que nos fazem acreditar que o futebol respira, que nos fazem acreditar que não é so um jogo, que é muito mais que futebol.

texto por Veridiana Cardoso Zefino