Com prejuízo em 2017, Conselho do Inter aprova suplementação orçamentária

disputa da Série B deu prejuízo ao Inter em 2017, e o Conselho Deliberativo aprovou, na noite desta quarta-feira, uma suplementação orçamentária de cerca de R$ 30 milhões. O montante serve para acertar as contas imediatas e oxigenar o caixa até mesmo para o início da próxima temporada. O planejamento do orçamento para 2018 também foi aceito pela maioria dos conselheiros, uma quantia na casa dos R$ 345 milhões.

Conforme balanço financeiro divulgado no Portal da Transparência colorado, as despesas superaram as receitas em pouco mais de R$ 28 milhões. Enquanto entraram no caixa R$ 267,9 milhões ao longo de 2017, o clube precisou gastar R$ 296,6 milhões, o que provocou a necessidade de a direção ir ao Conselho buscar a suplementação.

– Resultado importante dentro do processo democrático do clube. Ouvimos questionamentos e ponderações do Conselho Fiscal. Apresentamos perante o Conselho Deliberativo de uma forma muito clara, técnica. Foi um debate construtivo, com críticas, sugestões, opiniões. Agora vamos dar continuidade ao trabalho – disse o presidente Marcelo Medeiros após o fim da reunião no Beira-Rio.

A oposição entrou em rota de colisão com a direção atual pela forma como foram chamados os conselheiros para votação. A principal alegação é o período de final de ano, em que muitas pessoas estão de férias e, desta forma, fora da cidade, sem tempo hábil de participar da votação ou entrar no debate. Medeiros rebateu as críticas.

– Encaminhamos isto no dia 5 de dezembro ao Conselho Fiscal, que pediu esclarecimentos. O clube vive um momento diferente. Fizemos um esforço de toda gestão do clube, mas não existe nenhum impedimento de que essa votação ocorresse agora. A gente é eleito a trabalhar de domingo a domingo e de janeiro a janeiro – respondeu o mandatário.

A participação na segunda divisão do futebol brasileiro fez o time perder receitas de patrocinadores, além de ver a bilheteria diminuir, em função de promoções para lotar o Beira-Rio. O Colorado ainda perdeu os holofotes, tornando mais difícil a valorização e venda de jogadores. Durante o ano, apenas William foi vendido para o Wolfsburg, da Alemanha. Mesmo assim, por um valor de aproximadamente R$ 14,6 milhões.

A dificuldade financeira do Inter foi um obstáculo enfrentado ao longo da temporada. A gestão encabeçada por Marcelo Medeiros assumiu o clube com vencimentos atrasados. Até conseguiu acertar os salários, mas seguiu com pouco orçamento para investimentos mais vultosos.

Enquanto busca o equilíbrio das finanças, a cúpula trabalha para reforçar o grupo de Odair Hellmann. Até o momento, já foram anunciados três reforços: o centroavante Roger, que estava no Botafogo, além do lateral-direito Juan e do volante Gabriel Dias, que disputaram a Série B por Boa Esporte e Paraná, respectivamente. Wellington Silva, do Fluminense, e Dudu, do Figueirense, são os mais próximos de acerto.

Fonte: globo.com