Maestro, D’Ale participa de um terço dos gols do ano e salva Inter com faltas

O segundo tempo escorre em seus minutos finais em uma atmosfera de tensão crescente no Beira-Rio… Até D’Alessandro transformar a impaciência em uma explosão de alívio– e com uma pitada de sorte, ou azar, a depender do ponto de vista. Nesta quarta-feira, o gringo contou com falha do goleiro Caíque para conduzir o Inter a um valioso triunfo por 2 a 1 sobre o Vitória, no jogo de ida quarta fase da Copa do Brasil. E o fez com um gol salvador anotado em cobrança de falta, jogada que faz parte de sua rotina recente, como atleta mais efetivo do elenco colorado em 2018.

Imediatamente após ver o arqueiro rival se atrapalhar com a bola e empurrá-la para dentro das redes, o gringo irrompeu em direção à torcida para vibrar com seu segundo tento de falta consecutivo. O primeiro, porém, teve sabor bem mais amargo. Vinte e dois dias atrás, D’Ale anotou uma pintura com maestria ao fechar a vitória por 2 a 0 no Gre-Nal da volta das quartas de final do Gauchão. O gol e o placar foram insuficientes ao Inter, eliminado pelo maior rival depois de perder a ida por 3 a 0.

A falta anotada nesta quarta-feira foi bem menos plástica e só se concretizou em gol graças ao infortúnio de Caíque. Mas coloca serve para colocar o Inter em vantagem mínima, de jogar por um empate no duelo da volta, no Barradão, na próxima quinta-feira, para avançar às oitavas de final da Copa do Brasil. E é muito valorizado pelo capitão depois de três semanas sem compromissos oficiais, exclusivos para treinamentos.

– Sem desmerecer o trabalho dele (goleiro rival). Escapou a última. Não merecemos sair com o empate, foi uma infelicidade nossa (o gol de Denílson). Não vamos mudar nosso jeito de jogar. Claro que tem coisa a melhorar. Ganhando, o time fica mais tranquilo. Não tem gol qualificado, então qualquer vitória é importante. Torcedor fez a sua parte hoje, até o final. E fez esse gol que acho que merecíamos. A sorte que sempre a gente espera, que ainda não caiu do nosso lado. Está caindo para tantos times – ressalta o gringo.

O gol desta quarta-feira serve para respaldar o peso do capitão para o Inter em 2018. E os números estão aí para provar. Aos 36 anos, o meia é o atleta que mais participa de gols no elenco de Odair Hellmann. Seja de forma direta ou indireta, D’Ale contribuiu com nove dos 27 tentos marcados pelo Colorado na temporada. A marca corresponde a um terço deles. São cinco assistências e quatro gols anotados em 12 jogos (confira os números abaixo).

> D’Alessandro em 2018:

  • 12 jogos
  • 4 gols marcados
  • 5 assistências
  • 1063 minutos
  • Participação direta ou indireta em 1 gol a cada 1,3 jogo e a cada 118 minutos
  • Média de 1 assistência a cada 2,4 jogos e a cada 212 minutos
  • Média de 1 gol a cada 3 jogos e a cada 354 min

De quebra, D’Alessandro auxilia a colocar de vez um ponto final em uma “dificuldade” recente do clube em gols de bola parada. Ainda no ano passado, o gringo foi responsável por encerrar um jejum de 626 dias sem um tento de falta, ao marcar na vitória por 3 a 0 sobre o Sampaio Corrêa, pela Copa do Brasil, em 16 de março. O anterior havia sido marcado por Valdívia ainda em 2015, contra o Santos, pelo Brasileirão. O mesmo Valdívia, aliás, anotou o último gol em jogadas deste tipo antes da “dobradinha” do argentino, contra o Cruzeiro-RS, no Gauchão de 2017.

O gol salvador nesta quarta não veio sem muita luta da equipe, ressentida pela falta de ritmo após os 21 dias sem jogos. Contra o Vitória, o Colorado viveu primeiro tempo de organização, ainda que sem brilho, e abriu o placar com Patrick, antes de ser penalizado pelo erro de Rodrigo Dourado no gol de Denílson. Na segunda etapa, o Inter penou diante de um rival retrancado, com os 10 atletas atrás da linha da bola. Não à toa, a vitória só surgiu da bola parada.

– No primeiro tempo a gente estava fazendo um jogo seguro e controlado até tomar o gol. Tocando a bola de um lado para o outro para tentar abrir a defesa do Vitória. Precisávamos ter paciência, ser rápidos. No segundo tempo, não voltamos bem. No fim, crescemos de novo e dominamos Começamos a tentar mais um pouquinho nos cruzamentos. Às vezes, tem que tentar uma vez e depois buscar a infiltração, por baixo. Mas aí veio o gol numa falha, o que nos deixou mais tranquilos para buscar a vaga lá na Bahia – analisa Odair.

Com seu capitão em alta, o Inter se reapresenta para trabalhos na tarde desta quinta-feira, no CT do Parque Gigante. O Colorado volta a campo já no próximo domingo, às 16h, para encarar o Bahia no Beira-Rio em partida emblemática, que marca seu retorno à elite do Brasileirão. O segundo jogo contra o Vitória está marcado para a quinta-feira, às 19h15, no Barradão.

Fonte: globo.com