Nico vibra com gols na estreia e vê melhora na marcação: “Não estava acostumado”

Sentado no banco de reservas, Nico López observa os primeiros minutos da partida sem sequer cogitar o cenário de protagonismo que vivenciaria instantes mais tardes, no último domingo, no Beira-Rio. O gringo entrou em campo no começo do primeiro tempo, na vaga do lesionado Rossi, para marcar os dois gols da vitória do Inter por 2 a 0 sobre o Bahia, na estreia colorada no Brasileirão. Dois tentos que, aliás, são históricos ao clube em seu retorno à elite nacional.

E que são muito valorizados pelo uruguaio. Em entrevista coletiva nesta segunda-feira, o camisa 7 vibrou com o desempenho diante do Tricolor de Aço, capaz de fazê-lo igualar William Pottker na artilharia colorada, com cinco gols anotados em 2018. Botar a bola na rede, porém, não é a única missão que passa pela cabeça de Nico para se firmar como titular colorado em 2018. O atacante admite que ainda precisa evoluir em seu jogo sem a bola, com mais intensidade na marcação – algo recorrentemente cobrado dele no Inter.

– São gols que marcam. Espero continuar com a mesma maneira. Continuar fazendo gols e dando alegrias para o torcedor do Inter. Eu vivo do gol. Quando faço gol, estou feliz. Quando não faço, estou triste. Todo jogador quer jogar. Comigo, é fazer gols, sou atacante. Hoje em dia, o futebol mudou. Tem que correr, marcar. Eu não estava acostumado. Meus companheiros, o treinador estão me ajudando. Acho que estou melhorando – afirma o gringo.

Em sua fala, aliás, o uruguaio traça um panorama sincero de sua carreira recente para sustentar a melhora no comprometimento com o sistema defensivo. Contratado pelo Inter na metade do ano em 2016, Nico deixou o Nacional-URU, seu clube do coração, em que era o “centro” do time e via seus companheiros “jogarem por ele”. Em Porto Alegre, o atacante diz ter conhecido um novo futebol em que tem de se preocupar com a marcação antes de anotar gols.

– No Uruguai, tínhamos um jogo para mim, na verdade. O futebol mudou há tempos, e eu não sabia. Tenho que correr, marcar. O principal é marcar, correr. Depois, se possível, fazer gols. Eu sou um jogador que posso ajudar, como todos os jogadores que estão aqui no time. É uma camisa muito pesada. Por alguma coisa, estamos aqui. Treinando dia a dia, vou melhorar. Acho que já melhorei muito na marcação – pondera.

O Inter faz um último treino em Porto Alegre na manhã desta terça-feira e embarca à tarde rumo a Salvador, onde tem marcada mais uma atividade, na quarta-feira. Colorado e Vitória se enfrentam na quinta-feira, às 19h15, no Barradão, pelo jogo da volta da quarta fase da Copa do Brasil. A equipe de Odair Hellmann joga por um empate.

Fonte: globo.com